domingo, 27 de junho de 2010

Sobre preconceito

Olá!

O post d hoje é mais um desabafo, vão me desculpando aí, mas se eu não falar, eu morro abafada e eu não tenho vocação pra cuscuz, risos...

Eu sou de família humilde, já passamos muitas dificuldades aqui em casa, já vivemos muito tempo com a corda no pescoço, principalamente depois que Mainha ficou desempregada e como Painho é chaveiro autônomo, nem sempre dava pra ter sossego, pagar as contas em dia, essas coisas... Já ficamos no escuro, pq cortaram a luz, já cozinhamos de lenha pq não tinha pro gás, já comemos de manhã, confiando na providência divina para a refeição da noite e Deus nunca falhou conosco e meu pai tb sempre foi guerreiro, nunca deixou faltar comida, era a conta certa, mas não faltava e sempre acolhemos pessoas em casa e nunca faltou, já presenciei várias vezes a multiplicação dos "pães" aqui em casa, graças a Deus! Hoje, vivemos com um pouco mais de sossego, as coisas melhoraram muito, e já superamos a fase ruim há muito tempo!

Moramos num bairro mal falado por conta da violência, mas não nos envolvemos em nada, e por pior que fosse a nossa situação financeira em casa, ainda éramos os "melhores da rua", quer dizer, "menos piores", ou "menos pobres", sempre mantivemos uma conduta exemplar por aqui, todo mundo nos elogia, gosta da nossa família, quem nos conhece sabe que somos diferentes, conhecemos todo mundo, somos conhecidos e respeitados. Mas, não pertencemos ao "sistema" reinante aqui e tb conheço várias famílias assim aqui pelo bairro, não somos únicos e fico extremamente irritada qnd rotulam todos os moradores de marginais...

Pois bem, estudei em escola particular até a 4ª série primária, depois fui pra escola pública, fiz vestibular pra 2 instituições federais e passei nas duas, cursei as duas, me formei, estou no mestrado e buscando novos degraus, pq nunca me conformei com a nossa situação e tenho orgulho de mim por isso, orgulho da minha família, dos meus pais, dos meus irmãos, faço questão de dizer que moro aqui, pra mostrar que aqui também existem pessoas escolarizadas, instruídas e como eu já disse, não sou a única, mas aproveito para colocar a boca no trombone e divulgar o que não sai nas páginas policiais...
Já sofri preconceito por morar aqui, já perdi oportunidade de emprego por isso tb, não me deixaram nem fazer a seleção e olha que a escola fica aqui no bairro, eles queriam uma professora que morasse num lugar melhor e não uma do bairro, pode?

O Noivo mora num condomínio aqui perto, é um lugar melhorzinho do que onde eu moro, inclusive eu frequento a igreja que fica dentro desse condomínio, até lá já sofri preconceito por isso, a gente (o nosso grupo de oração) não tinha nome, éramos meninos de Engomadeira... Nunca tive vergonha da minha origem, muito pelo contrário, só tenho orgulho da pessoa que eu sou! Na minha formatura, eu fui oradora e antes de começar meu discurso eu disse: Da Engomadeira para o mundo, aqui estou eu! Fui aplaudida, as pessoas me cumprimentaram no final da solenidade, gente que nem me conhecia, me dando os parabéns, fiquei famosa, risos... Todo mundo lembra disso, marcou! Tenho ogulho da minha história, mas recentemente, fiquei sabendo de comentários maldosos, isso me feriu, mas tô tentando digerir ainda...

Soube q falaram mal de mim, pelo Noivo ter se envolvido comigo, tipo: Com tanta menina pra Nilvam arranjar, foi escolher justamente uma menina desse bairro cheio de bandido! Isso me deixou triste, como se eu fosse um nada, como se o Noivo merecesse alguém melhor que eu... Como entender uma pessoa q sorri pra mim, me trata bem pela frente e faz isso pelas costas? Fora outras coisas que não valem a pena dizer aqui, pode? Estou com isso martelando na minha cabeça, o Noivo tb ficou triste qnd soube, pq veio de uma pessoa q ele considera muito. Embora, eu não tenha muito contato, só veja de vez em quando, é uma pessoa próxima dele, sabe? Resolvi não me esquentar com isso, afinal de quem veio, não é pra se levar em conta, pense numa pessoa totalmente amarga e frustrada com a própria vida? Nada está bom pra essa pessoa, fico triste pq eu não esperava, mas, tb não vou devolver o mal com o mal! Ela precisa experimentar o amor de Deus e ser feliz, quem sabe um dia o milagre não aconteça, né?

Desculpem o desabafo, viu?

Beijocas!

P.S. Volto com a resenha do meu niver e do jogo!
P.S2.: Como coloco foto aqui?

3 comentários:

Aline disse...

O importante é que vc deu a volta por cima! =D

Já sofri preconceito também e sei o quanto dói. Mas o problema está nas pessoas e não na gente, então... Azar o delas.

Beijos!

Ivana disse...

Sinhá ...

Somos gêmeas??!!
Acho que é o mal do dia de nascimento isso tudo ...
Também não tive/tenho a vida fácil, mas me orgulho muito do que eu sou hoje e das origens que eu vim ...

beijo enorme

P.S. Manda as pessoas para passear em Jupiter, bem longe de vcs!

Taise J Silva disse...

Voce esta certa devemos sim desabafar com amigos,pois ja sentir o preconceito na pele e sei o quanto doi,pois tambem vim de familia humilde e por ser negra tambem enfim,mas hoje tenho certeza que o problema esta com essas pessoas e nao conosco,pois elas que sao infelizes,e por tanto bola pra frente!bjs